Noel Gallagher voa alto em Londres

Noel Gallagher mostrou que está extremamente confortável em sua nova carreira solo. Foto: Eduardo Pelosi
Noel Gallagher mostrou que está extremamente confortável em sua nova carreira solo. Foto: Eduardo Pelosi

Revigorado, muito mais simpático do que nos tempos de Oasis, confiante e cheio de vontade em cima do palco, esse foi o Noel Gallagher que fez um show memorável na noite deste domingo (26), no O2 Arena, em Londres. Se ainda havia alguém em dúvida sobre como Noel está se saindo na carreira solo, o ex-guitarrista/líder/compositor do Oasis mostrou que ainda tem talento de sobra e que está cada vez melhor.

Mesmo sendo a quinta apresentação em Londres desde que lançou o seu disco Noel Gallagher’s High Flying Birds, esse foi o maior público até aqui, com aproximadamente vinte mil pessoas no O2 Arena. O show começou às 20:45 com duas músicas do Oasis, (It’s Good) to Be Free e Mucky Fingers, que já levantaram a plateia nos primeiros acordes.

Logo em seguida, o músico abriu a sequência de músicas do seu disco solo com a melodia imponente de Everybody’s on the Run – com direito a um grande coral no fundo do palco – seguida por Dream On e a badalada If I Had a Gun… que, além do coral, contou com um coro uníssono da plateia.  A sequência de músicas do segundo álbum de rock mais vendido no Reino Unido em 2011 (perdeu apenas para Mylo Xyloto do Coldplay) seguiu com The Good Rebel e The Death of You and Me.

O irmão mais velho de Liam Gallagher já trouxe uma música nova, Freaky Teeth, que foi escrita ainda nos tempos de Oasis, com a intenção de ser trilha sonora do último filme de James Bond, mas só foi finalizada agora. Sempre conversando e brincando com a plateia, Noel dedicou uma versão acústica de Supersonic para alguns fãs que tentavam entregar um presente para ele e fez a arena inteira cantar junto.

O único momento onde os aplausos e gritos deram lugar a uma grande vaia foi quando Noel resolveu dedicar AKA… What a Life! para o atacante do seu time de coração (Manchester City), Mario Balotelli. Na sequência, Talk Tonight – outra dos tempos de Oasis – fez o público relembrar o famoso Acústico gravado em 1996, quando o seu irmão Liam resolveu não participar e fez Noel cantar todas as músicas sozinho, pela primeira vez.

Eu vou para o Brasil

Depois de ouvir gritos de uma brasileira, Noel Gallagher disse que vai fazer show no Brasil, mas ainda não tem uma data definida. A rápida conversa foi a deixa para ele dedicar Half The World Away, outra do Oasis, para a “brazilian lady” da plateia. O set seguiu com (Stranded On) The Wrong Beach que fechou a primeira parte do show.

No Bis, Noel mostrou que além de um grande compositor é um showman e lançou uma sequência com Whatever, Little by Little e The Importance of Being Idle, algumas das mais famosas do Oasis. O show foi encerrado com Don’t Look Back in Anger, com o público em êxtase, cantando o mais alto possível. Não podia ser diferente, ao encerrar o show, Noel foi aplaudido por cerca de cinco minutos, mesmo depois de já ter saído do palco. Se Liam Gallagher estava assistindo o show, certamente ficou com uma pontinha de inveja.

Setlist

Hits do Oasis fizeram parte do repertório. Foto: Eduardo Pelosi
Hits do Oasis fizeram parte do repertório. Foto: Eduardo Pelosi

(It’s Good) To Be Free (Oasis)
Mucky Fingers (Oasis)
Everybody’s on the Run
Dream On
If I Had a Gun…
The Good Rebel
The Death of You and Me
Freaky Teeth
Supersonic (Oasis)
(I Wanna Live in a Dream in My) Record Machine
AKA… What a Life!
Talk Tonight (Oasis)
Soldier Boys and Jesus Freaks
AKA… Broken Arrow
Half The World Away (Oasis)
(Stranded On) The Wrong Beach

Bis
Whatever (Oasis)
Little by Little (Oasis)
The Importance of Being Idle (Oasis)
Don’t Look Back In Anger (Oasis)

Confira alguns vídeos do show:

Arembepe é uma das joias do Litoral Norte da Bahia

Faixa litorânea tem sete quilômetros e é dividida em cinco praias. Foto: Rita Barreto/Setur
Faixa litorânea tem sete quilômetros e é dividida em cinco praias. Foto: Rita Barreto/Setur

Com mais de 1.100 quilômetros de litoral, a Bahia tem opções de praias para todos os estilos e todos os gostos. Dentre todas as praias oferecidas pelo imenso tabuleiro litorâneo do estado, Arembepe é um lugar diferente, pouco explorado como destino turístico, mas que já atraiu figuras ilustres como os cantores Mick Jagger, Janis Joplin, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Raul Seixas e o cineasta Roman Polanski. O significado do nome Arembepe, do tupi-guarani “aquilo que nos envolve” traduz a magia do local, que mistura agito e tranquilidade.

Localizado a 24 quilômetros do Aeroporto de Salvador, o distrito já foi parte de uma fazenda de cocos, se tornou uma pequena vila de pescadores. Hoje, a localidade é considerada um dos portões de entrada da Costa dos Coqueiros, com natureza exuberante e uma infraestrutura que conta com hotéis, pousadas, bares, restaurantes, uma base do Projeto Tamar e a famosa Aldeia Hippie.

A faixa litorânea de Arembepe é dividida em cinco praias, que se estendem por sete quilômetros, com águas agitadas ao norte e calmas ao sul. Entre elas está a Praia do Piruí, que além de reunir piscinas naturais durante a maré baixa, é frequentada por surfistas amadores e profissionais, que aproveitam o mar agitado e as grandes ondas para a prática do esporte.

Outra praia muito procurada é a do Porto, localizada no centro do distrito, com piscinas naturais entre as pedras e com uma concentração de barracas, restaurantes e bares na beira da praia, com um cardápio completo de comidas baianas, frutos do mar frescos, pescados na região, e drinques com frutas tropicais.

Local possui natureza exuberante e uma infraestrutura que conta com hotéis, pousadas, bares, restaurantes, uma base do Projeto Tamar e a famosa Aldeia Hippie. Foto: Jotafreitas

Foto: Jotafreitas

Na Praça das Amendoeiras, nativos e turistas se misturam durante o dia e a noite, em um ambiente familiar, arborizado e Os restaurantes, bares e pizzarias são um verdadeiro atrativo para quem quer aproveitar a vista do mar e as delícias gastronômicas da região. Além dos restaurantes típicos, alguns estabelecimentos são gerenciados por estrangeiros, que vieram morar no local, e oferecem pratos da culinária internacional.

As feiras de artesanato realizadas na Praça das Amendoeiras formam uma verdadeira vitrine da cultura local. Ali, são expostos esculturas talhadas em madeiras, roupas feitas com fibra de coco e com palha de coqueiro, piaçava e palmeira, brincos, anéis e outros acessórios, além de pinturas em camisetas e quadros feitas por artistas locais e moradores da Aldeia Hippie. As barraquinhas também vendem comidinhas regionais como beijus, carne do sol com aipim, churrasquinho e crepes recheados com carne seca e queijo coalho.

Leia também:

Aldeia Hippie de Arembepe mantém charme

Como chegar

Saindo de Salvador, basta seguir pelas praias do Litoral Norte, passar pela cidade de Lauro de Freitas e pegar a Estrada do Coco (BA-099). Após a praça do pedágio, são menos de 20 quilômetros de rodovia até Arembepe.

Os ônibus saem da Estação da Lapa, Terminal da França e Rodoviária, na capital baiana, a cada 30 minutos. A passagem custa pouco mais de R$ 2,00. Outra opção é ir ao final de linha de Itapuã e seguir viagem em uma das inúmeras vans ou micro-ônibus que fazem o percurso em cerca de 30 minutos. Vindo da Praia do Forte e da Costa do Sauípe, Arembepe está situada logo após a localidade de Barra do Jacuípe.

Onde Ficar

Enseada do Sol

Endereço: Loteamento praia Piruí, lotes 70/71 – Arembepe

Telefone: (71) 3624-1148

www.enseadadosol.blogspot.com

Hotel Aldeia de Arembepe – Refúgio Ecológico

Endereço: Estrada Aldeia Hippie, loteamento 09/10 – Arembepe

Telefone: (71) 3624-1031 / 9153-5253

www.aldeiadearembepe.com.br

Onde Comer

Restaurante Mar Aberto

Praça das Amendoeiras, Nº 43

Tel: (71) 3624-1257

Abassá Restaurante

Rua do Piruí, nº 34 – Praia do Piruí – Arembepe.

Tel:(71) 3624-2764 / Especialidade: Cozinha Meditarrânea.

Restaurante Fogão de Lenha

Estrada do Coco, Km 20 – Arembepe

Tel:(71) 3628.1200

Campanha eleitoral já começou na web

Se a web já vinha esquentando o debate pré-campanha nos últimos meses, agora já podemos declarar que a rede é o grande palco político pré-eleitoral. Nesta segunda-feira (19), a candidata Dilma Roussef (PT) lançou o seu site pessoal e suas páginas no Orkut, Facebook e Youtube. Esses novos canais, vão se juntar ao Twitter e o Flickr da Dilma para mobilizar e interagir com os eleitores até outubro.

Marcelo Branco e Dilma Roussef durante o lançamento do Dilmanaweb
Marcelo Branco e Dilma Roussef durante o lançamento do Dilmanaweb

O site Dilmanaweb traz a biografia da candidata, notícias, propostas, espaço para depoimentos, contato, formulário de divulgação por e-mail e campo de comentário dentro das notícias. Coordenada pelo ex-diretor da Campus Party Brasil, Marcelo Branco, a campanha de Dilma na internet já dá sinais que será intensa e feita por gente que conhece a fundo as ferramentas da web. O próprio Marcelo Branco, já declarou que a organização da campanha considera a internet “decisiva” neste ano. Dilma conta, também, com o reforço de Scott Goodstein, Joe Rospars e da Blue State Digital, responsáveis pela campanha online de Barack Obama.

No Twitter, a candidata do PT atua desde o início do mês e já possui mais de 31 mil seguidores e atualiza constantemente os seus passos durante a pré-campanha, mas ainda falta interagir mais com os seus seguidores. Os novos perfis de Dilma nas redes sociais pode ampliar essa interação ou perder o seu grande potencial, caso ela não os utilize para conversar com o eleitor.

Nesta campanha, pela primeira vez os candidatos poderão atuar através de blogs e sites de relacionamentos. O fim das restrições à internet vai ampliar o debate eleitoral e possibilitar a ascensão de candidatos que usarem bem as mídias sociais e pode causar sérios problemas para políticos que entrem na rede de forma despreparada.

O principal rival de Dilma Roussef para a campanha presidencial, José Serra (PSDB), já atua há quase um ano no Twitter e acerta na utilização da ferramenta. Serra dialoga bastante com os seus 205 mil seguidores e trata dos mais variados assuntos, sem tornar o espaço num mero palanque eleitoreiro. Apesar disso, Serra ainda atua de forma muito tímida em outras redes sociais e mantém um blog feito no Blogger, onde transcreve textos, discursos e artigos.

Por enquanto, Dilma segue na frente na corrida eleitoral na internet. Orientada por profissionais especializados, a candidata do presidente Lula tem grandes chances de conquistar mais votos na web. Serra ainda atua de forma tímida, mas pode reagir e disputar o espaço na web de forma equilibrada.

Além dos dois principais candidatos, Ciro Gomes e Marina Silva também já fazem pré-campanha em seus sites e twitters. A rede social do momento, o Twitter, deve ser mesmo o principal espaço para a interação entre os candidatos e os eleitores. Através do site Politweets, é possível encontrar o perfil de todos os políticos que ocupam cargos públicos que estão no Twitter, é um bom começo para quem quer acompanhar o que aquele cara que quer seu voto pensa.

Introduzindo redes sociais em governos

Novo site da Comunicação do Governo da Bahia
Novo site da Comunicação do Governo da Bahia

Depois de algum tempo parado, estou de volta para o post número 100 do 2.Zero. Nesta edição especial, resolvi falar um pouco do meu trabalho. Com o lançamento do novo site da Assessoria Geral de Comunicação do Governo da Bahia (Agecom) que destaca o uso das redes sociais, nesta terça-feira (10), fico mais confortável para contar a experiência que foi começar a utilizar redes sociais dentro do setor público. Ao contrário de uma empresa privada, as inovações dentro do governo são mais cautelosas, estudadas com calma, analisadas e planejadas para que não se corra nenhum risco desnecessário.

Em maio de 2008, eu e o coordenador de Novas Mídias da Agecom, @paulofortes , resolvemos criar o Twitter do Governo da Bahia. Como expliquei nesta matéria da Folha Dirigida, foram meses de experiência, utilizando a ferramenta para a cobertura ao vivo de eventos especiais, como visitas do presidente Lula à Bahia, datas comemorativas e lançamentos de programas do governo.

Com a realização do encontro da Cúpula do Mercosul na Bahia, em dezembro de 2008, resolvemos lançar o twitter da Comunicação do Governo oficialmente, para ampliar a cobertura e postar informações rápidas que poderiam ser utilizadas pela imprensa nacional e internacional. Foi o primeiro governo de Estado do Brasil a utilizar o Twitter.

A partir daí, a porta começou a se abrir para o uso das redes sociais no Estado. Em janeiro de 2009, criamos a conta no Youtube, que passou a permitir comentários nas coberturas televisivas do governo e facilitou com que qualquer pessoa tivesse acesso ao vídeo para colocá-lo em blogs e sites de notícias. Em abril de 2009, criamos a conta da Agecom no Flickr, o que agilizou o trabalho dos fotógrafos da imprensa oficial e difundiu o acesso das coberturas fotográficas em alta resolução, que antes era feito apenas por FTP e pelo site.

Atuação da Agecom no Twitter foi destacada no blog Herdeiro do Caos
Atuação da Agecom no Twitter foi destacada no blog Herdeiro do Caos

Quando me perguntam sobre a eficácia do uso das redes sociais no governo eu costumo citar duas boas experiências. A primeira ocorreu quando começaram as chuvas de inverno na Bahia, no ano passado. Através do Twitter, enquanto os usuários trocavam informações sobre alagamentos, acidentes e estradas que foram danificadas pelas chuvas, nós respondíamos aos usuários sobre as providências que estavam sendo tomadas pelo governo. Em instantes, vários usuários passaram a solicitar informações sobre pontos específicos de Salvador e da RMS e, quando recebiam o retorno do que seria feito para sanar o problema, era comum ver os seguidores da @agecom agradecendo e se mostrando surpresos por poder ter um canal tão simples e direto de comunicação com o Estado. A segunda experiência ocorreu quando, em novembro de 2009, surgiram boatos de uma possível greve da Polícia Militar. Rapidamente, pudemos desmentir boatos e confirmar a posição do governador e da PM através do Twitter, evitando que “fortes” boatos fossem divulgados pela imprensa.
Hoje, o Governo da Bahia também conta com espaços oficiais no Orkut e no Slideshare. As secretarias do Estado também passaram a utilizar ferramentas como o Twitter, Orkut, Facebook e Flickr para ampliar a interatividade e o acesso à informação. Na Assessoria de Imprensa do Governador, foram criados um blog e uma conta no twitter. O twitter @imprensawagner chamou atenção da mídia, recentemente, após a tentativa de suspensão da conta pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) – que acolheu a consideração do PMDB baiano, alegando o uso da ferramenta com objetivos eleitorais. Após o anúncio de que a conta no twitter seria suspensa, uma manifestação popular foi realizada contra a censura na rede social. Através da tag #defendoJaquesWagner , mais de 200 mensagens de apoio ao uso do twitter pela assessoria do governador foram enviadas pelos usuários. Após o movimento e a análise do uso da ferramenta pela PRE, a requisição foi suspensa e, hoje, o twitter @imprensawagner tem mais de 700 seguidores.

Além da grande mídia, os blogs repercutiram a tentativa de censura ao twitter @imprensawagner
Além da grande mídia, os blogs repercutiram a tentativa de censura ao twitter @imprensawagner

As formas como essas ferramentas são utilizadas ainda estão longe do ideal, mas um passo gigantesco já foi dado para que tenhamos, cada vez mais, governos digitais. As assessorias de comunicação dos governos começam a ampliar o espaço, a atenção e as equipes especializadas em comunicação via web. Este ano, com a abertura das eleições para a internet, a tendência é que essas ferramentas sejam utilizadas cada vez mais. Graças ao crescimento da web e das redes sociais, nunca estivemos tão próximos e tão vigilantes dos nossos governantes.

Saída do Ghandy pinta o Centro Histórico de azul e branco

Preparado para espalhar a paz pelas ruas da avenida, o Afoxé Filhos de Ghandy realizou a sua tradicional saída do Pelourinho, na tarde deste domingo (14), ao som do tradicional ritmo ijexá. Regidos pelo agogô, a multidão vestida de branco emocionou todos os foliões, que lotaram o Pelô para conferir a saída do bloco.

Com a realização do tradicional Padê, ritual de despacho a Exu, os integrantes centralizam energias positivas e pedem a abertura de caminhos e paz ao orixá.

Farofas brancas e de azeite são oferecidas ao orixá, considerado pelo candomblé como o dono, o regente do Carnaval. É um presente para garantir a alegria e a paz durante toda a festa carnavalesca. A oferenda também inclui a água e o acaçá. Feito de milho branco.

Desde o início da tarde as ruas do Centro Histórico já estavam tomadas por associados do bloco, vestidos com a famosa fantasia, o turbante branco, contregum e sandália rasteira, cobertos por dezenas de colares de contas azul e branco. O Ghandy desfila neste ano com o tema “Ghandy: Ontem, hoje e amanhã com as forças das folhas”, que pretende espalhar a mensagem de paz dos fundadores do bloco com um toque de modernidade.

Para o turista Sérgio Lima, que veio de São Paulo para curtir o bloco pela segunda vez, sair no Ghandy é um momento de grande emoção. “Vim há quatro anos atrás e fiquei impressionado, esse bloco é muito lindo. É muito emocionante ver esse tapetão branco da paz nas ruas”, comenta Sérgio.

No meio do desfile, muitos associados do bloco carregavam amuletos e adereços decorados com as cores dos Filhos de Ghandy. Alguns carregavam bonecos, sombrinhas com fitinhas do Senhor do Bonfim e mastros, tudo para celebrar a paz e a grandeza do bloco.

O aposentado Nilson Emanuel, de 69 anos, sai no Ghandy há 42 anos e não abre mão de desfilar todos os dias junto ao trio. “A melhor coisa do mundo é poder sair no Ghandy, a alegria aqui é contagiante. Este é um momento de muita paz, fico muito emocionado”, ressalta.

Além de espalhar a paz, os associados do Ghandy também espalham o amor pelas ruas no Carnaval. A tradicional troca de colares com continhas azul e branco por um beijo atrai muitas mulheres para assistir a passagem do bloco. Durante o percurso, muitos dos Filhos de Ghandy encontram o par ideal e ficam pelo meio do caminho.

Depois da tradicional saída do Pelourinho, o cortejo do Bloco seguiu rumo à Praça Municipal, passou pela Varanda do Glauber e desceu pela Sulacap, em direção a Rua Carlos Gomes, espalhando água de cheiro, ao som do tradicional grito de “Ajaiô”, pelas ruas do Centro.

Ainda hoje, o bloco deve passar pelo Campo Grande, pintando de branco a área principal do Circuito Osmar. Na segunda-feira (15), o bloco desfila às 15 horas no Circuito Osmar (Barra/Ondina) e volta a desfilar no Campo Grande na terça-feira (16).

Jam no Mam recebe mais de 1.500 pessoas por noite no Verão

A combinação de boa música, diversidade cultural e belezas naturais atrai baianos e turistas todos os sábados para o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM), em Salvador. Na última edição de 2009 do projeto Jam no Mam, neste sábado (26), o público curtiu o pôr do sol ao som do melhor do jazz mundial, interpretado por músicos baianos, sempre de forma descontraída. Durante este Verão a média de público é de mais de 1.500 espectadores por sábado.

Jam session reúne músicos baianos no MAM. Foto: Eduardo Pelosi

De acordo com Ivan Huol, baterista e diretor musical do projeto, o ano de 2009 foi “surpreendente”. O Jam no Mam bateu recorde de público durante os três dias de comemoração do aniversário de 10 anos do evento, foram mais de cinco mil pessoas no fim de semana.

Gerson Souza, morador de Fortaleza, veio passar as férias com a família na Bahia e achou a Jam no Mam um “ótimo evento”. “Além da música de qualidade, o horário é excelente, pude trazer toda a família. Outro ponto positivo é a atração extra, podemos visitar a exposição do museu, antes de começar o show”, comenta.

Como turista, Gerson destaca o baixo custo da atração, que tem ingressos a R$ 4,00 e R$ 2,00 (meia). “Aqui você não se sente explorado, a entrada é barata e as comidas e bebidas também. Gostei muito, é tudo organizado, seguro e pontual”, ressalta.

O português Felipe da Silva, da Ilha da Madeira, foi assistir a Jam, a convite do seu cunhado brasileiro, e gostou do espetáculo. “Aqui temos música bacana, ótimas comidas e bebidas a beira-mar. Para ficar melhor ainda poderiam ter mais barracas de comes e bebes e mais cadeiras, ao invés de banquinhos”, comenta Felipe.

Neste último sábado de 2009, a Jam Session – número musical baseado no improviso – contou com a participação de André Magalhães, Bira Marques, Paulo Mutti, André Becker e Letieres Leite. Ao cair da noite, clássicos do jazz como “Someday my prince will come”, “You don’t know what love is”, “Besame Mucho” e “A night in Tunisia” foram intercaladas com versões de clássicos da MPB e muito improviso, sempre seguidos de aplausos do público.

O esforço agora é para dar continuidade ao o sucesso do projeto no próximo ano, explica Ivan Huol: “Já no primeiro sábado do próximo ano teremos a Jam, não podemos parar. A expectativa é que tenhamos um grande público durante os meses de janeiro e fevereiro”.

Outra novidade para o verão será o Microtrio de jazz, já famoso no Carnaval de Salvador, que este ano será carregado dentro de um grande trio, uma experiência que promete repetir o sucesso do projeto.

Confira as fotos da Jam no Mam:

Curta um pouco da atmosfera da Jam no Mam no vídeo:

Serviço

Jam no Mam

Onde: Museu de Arte Moderna, Solar do Unhão

Quando: Todos os sábados a partir das 18 horas

Preço: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia)

Mais informações: www.jamnomam.com.br

Descendo o morro de bicicleta

Se tem uma empresa que admiro a maneira como divulga sua marca é a Red Bull. A fabricante de energético patrocina diversas modalidades esportivas e organiza algumas competições. Aqui no 2.Zero, já comentei sobre o Red Bull Air Race – que pude assistir, no Rio de Janeiro – em 2007. Além de patrocinar esportes como Fórmula 1, Futebol e Surf, a empresa austríaca investe também em esportes radicais – como skate, moutain bike e alpinismo – e inusitados, como o campeonato de aviões de papel.

Nos últimos dias, mais um evento esportivo da marca me impressionou. O Red Bull Desafio no Morro levou alguns dos melhores atletas de mountain bike downhill do mundo para o Morro Dona Marta, no Rio de Janeiro. O downhill é uma modalidade onde os atletas descem percursos íngremes o mais rápido possível. Neste caso, os ciclistas correram por cima de barracos, através de vielas, escadarias e rampas no meio da favela.

Cerca de 100 moradores trabalharam na organização do desafio, que aconteceu nos dias 26 e 27. A disputa contou com grande apoio da comunidade moradora do morro, da Secretaria de Estado de Esportes, Turismo e Lazer do Rio de Janeiro; da Riotur/Prefeitura Municipal e do GRES Mocidade Unida do Santa Marta.

O eslovaco Filip Polc foi o vencedor do Red Bull Desafio no Morro, com o tempo recorde de 01:39:91 na final. Em segundo lugar ficou o brasileiro Markolf Berchtold, com 01:41:57. O inglês Gee Atherton, campeão mundial de downhill e líder das classificatórias de sábado, furou o pneu de sua bicicleta e ficou com o décimo tempo. Dan Atherton, irmão de Gee, completou o pódio com o tempo de 01:42:29.

Muito além do que uma simples marca na camisa de um atleta, esse tipo de iniciativa movimenta a cidade, o local que recebe a competição e estimula crianças e jovens a se interessarem por diferentes esportes. Uma ação que merece ser divulgada, com o nome da marca ao lado. Eles investem grana nisso e merecem a repercussão. Tem muito empresário por aí precisando aprender com o Dietrich Mateschitz, dono da Red Bull.

O morro

O local escolhido para o evento é uma favela que começou a ser ocupada em 1935. A favela ficou mundialmente famosa através do clipe de Michael Jackson, “They Don’t Care About Us”, e é ocupada permanentemente pela polícia militar desde novembro de 2008.  O morro Dona Marta também foi o primeiro a ter internet sem fio gratuita para todos os moradores.

Ace Frehley está de volta

O disco Anomaly, recém lançado pelo guitarrista Ace Frehley, mostra que o músico está com as baterias recarregadas e cheio de vontade. Frehley foi o primeiro guitarrista do KISS, atuou na banda até 1982 e depois entre 1996 e 2002, nas duas ocasiões, saiu da banda por causa do uso abusivo de álcool e outras drogas. Depois de se reabilitar e parar de beber, Ace voltou a tocar sua carreira solo e lançou no último dia 15 o cd Anomaly. Este é o seu primeiro trabalho solo desde 1989, quando lançou o disco Trouble Walkin’.

O novo disco foi gravado entre 2007 e 2009, tem 12 faixas e ganhou uma música bônus, The Return of Space Bear, na versão vendida pelo Itunes. Na minha primeira audição do disco, fiquei muito satisfeito com o resultado. Ace mostra que está num momento muito criativo, com músicas marcantes que carregam o estilo hardrock com uma pegada bem atual.

Em 2008, Ace já tinha aparecido para mostrar que estava em forma, detonando com a música Rocket Ride, em Nova York:

Recentemente, me impressionei com uma gravação de um show de Ace, em maio de 2009, detonando acompanhado de figuras como Chad Smith (Red Hot Chili Peppers) e Alice Cooper. Agora, com Anomaly, ele confirma que está melhor do que nunca:

Gostou? O cd Anomaly ainda não está nas lojas do Brasil, mas pode ser comprado por 12 dólares na Amazon. Enquanto o disco não chega, recomendo o primeiro disco solo do Ace Frehley, lançado quando ele ainda estava no KISS, e o cd 12 Picks, que é uma coletânea das suas melhores composições.

Tempestade de areia na Austrália

Uma gigante tempestade de areia pintou o céu de vermelho em boa parte do leste da Austrália, incluindo a cidade de Sydney, nesta quarta-feira (23). Os fortes ventos vindos do deserto australiano causaram a intempérie, que surpreendeu todo mundo. O fenômeno forçou o fechamento de aeroportos e transportes urbanos. Pessoas com problemas cardíacos e respiratórios foram orientadas, pelos médicos, a não sair de casa. Essa foi a pior tempestade de areia desde 1940. Além dos transtornos, o fenômeno proporcionou belas imagens para fotógrafos e cinegrafistas, clique na imagem abaixo e confira a galeria com fotos da tempestade:

Red light

O Big Picture, do Boston Globe, também selecionou belas fotos do fenômeno.

Minha homenagem ao Dia Mundial do Rock

Mesmo sem atualizar muito, é claro que eu não poderia deixar o Dia Mundial do Rock (13/07) passar em branco aqui no 2.Zero. Fiquei em dúvida sobre o que deveria colocar por aqui, é difícil sintetizar um ritmo musical com tantas expressões, tantas histórias, tantos momentos memoráveis em apenas um post. Resolvi trazer para vocês dez vídeos inesquecíveis, que marcaram a minha história com o rock e não são tão conhecidos entre todos.

The Smashing Pumpkins – Tonight, Tonight (Ao vivo no MTV VMA 1996)

Eu já ouvia Smashing Pumpkins quando vi eles abrindo o MTV Video Music Awards, em 1996. Mas, nesse momento eu percebi que se tratava de uma das melhores bandas que já existiram. Infelizmente, o baterista no palco não é o Jimmy Chamberlin, que estava afastado da banda por causa das drogas, mas a orquestra tocando junto compensa. Nesse dia, a banda abriu a noite de forma impecável e ainda faturou vários astronautas de prata, entre eles o Vídeo do Ano, com o clipe de Tonight, Tonight.

The Killers – Sam’s Town Live Glastonbury 2007

Eu não poderia deixar de incluir um vídeo no festival mais rock que existe hoje. Esse show do The Killers em Glastonbury foi o que me convenceu que eu tinha que ir ver o show deles no Brasil. Nesse vídeo, a abertura do show, com Sam’s Town, fogos de artifício e milhares de pessoas pulando e cantando a música. Perfeito!

Rage Against the Machine – Know Your Enemy (Ao vivo na Cidade do México)

Esse é um dos shows que eu lamento não ter tido a oportunidade de assistir. As tomadas que mostram o público são impressionantes, a multidão pulando de forma descontrolada, como se não houvesse amanhã. No palco, toda a energia de Zack de la Rocha, Tom Morello, Tim Commenford e Brad Wilk. Isso é Rock!

David Bowie & The Arcade Fire – Wake Up

Sem dúvidas, Wake Up é a melhor música do Arcade Fire. Nessa performance, David Bowie se une ao grupo e torna a canção ainda mais emocionante. Além disso, para David Bowie topar uma participação, a música tinha que ser no mínimo excelente… A descrição do vídeo no YouTube é engraçada, mas transmite um pouco do sentimento da música: “If you don´t cry watching this, you are dead inside”, hehehe. Para quem não conhece, o Arcade Fire é um excelente grupo canadense que utiliza alguns intrumentos inusitados para uma banda de rock, como capacete, violinos e acordeon.

At the drive-in – One armed scissor (Ao vivo no Jools Holland)

Em menos de 4 minutos, os integrantes da banda que originou o The Mars Volta e o Sparta constroem e desconstroem a música centenas de vezes. At the Drive-in no palco era isso, muita energia, muito improviso, muito rock!

Radiohead – Paranoid Android (Ao vivo no Eurockenees – 1997)

A primeira vez que vi esse vídeo o que mais me impressionou foi a versatilidade da banda no palco. De forma intensa, os integrantes do Radiohead transpõem toda a energia dessa música, que considero uma espécie de ópera rock.

Franz Ferdinand – Outsiders (Ao vivo no T in the Park)

Acho que esse vídeo traduz muito do espírito Rock and Roll. O grupo Franz Ferdinand se apresentava no festival T in the Park, durante a performance de Outsiders outros dez músicos entram no palco para tocar bateria. Entre os convidados estão os bateristas do Red Hot Chili Peppers, Kaiser Chiefs, Sigur Rós e Wolfmother.

Keane – Under Pressure (Ao vivo no War Child Concert)

Que o Keane consegue fazer músicas maravilhosas apenas com piano, bateria e voz, sem nos deixar sentindo falta de uma guitarra ou baixo eu já sabia. Mas nesse cover de Under Pressure, do Queen, eles me surpreenderam totalmente. Destaque principal para o vocalista Tom Chaplin, que canta uma música de Fred Mercury sem dificuldade. Aí já rola um baixista no palco, mas era indispensável ter um baixo nessa música!

The White Stripes – Black Math

White Stripes é uma banda que mostra como se faz rock de verdade usando só uma guitarra e uma bateria. No palco, Jack White e Meg White improvisam, mudam o tempo das músicas e surpreendem ao fazer um grande show sem a ajuda de nenhum outro músico. Em Black Math, bastam pouco mais de três minutos para se fazer uma grande homenagem ao Dia Mundial do Rock!

KISS – Rock n Roll all Night (Ao vivo na ponte do Brooklyn – 1996)

Depois de mais de 15 anos, o KISS retoma a sua formação original em 1996. Esse foi um dos primeiros shows do retorno de Ace Frehley e Peter Criss e encerrou o VMA de 1996. Quando assisti pela primeira vez, não conhecia a banda. Definitivamente, essa foi a apresentação que transformou a minha história com o rock. Após assistir eles tocando, fui atrás dos discos e sou fã da banda até hoje. Esse ano (2009), finalmente tive a oportunidade de ver ao vivo, em São Paulo, o maior show de rock do universo. Fiquem com o maior hino do Rock:

PS: Comentem indicando vídeos que marcaram a sua história com o rock!

PS 2: Se o YouTube tirar algum vídeo do ar, me avisem que eu coloco novamente…

Leiam outros posts sobre Rock no 2.Zero:

Our eyes on Keane: Fãs produzem DVD do show do Keane no Brasil
Fotos da Life mostram a história do Rock
Reinventando o show business
Música do futuro
A Day in the Life
Brasil no Later
Cuba indie
Tudo de Novo; Começo Sem Fim