Bolhas e borrachas

Depois que saí de Margrathea, decidi tomar outros rumos. Acabei caindo em um planeta muito peculiar, Gorzonbola é um lugar único, inacreditável. Logo ao estacionar em uma doca amarela, fui atendido por uma figura de longo nariz escorrido, ele andava meio saltitante e às vezes soltava uns peidos bolhas, que não fediam, decidi seguir o rumo, procurando um hotel para passar a noite. As ruas de Gorzonbola não são quadradas, em todos os lugares existem escorregadeiras feitas de borracha anti-derrapante, mais uma peça pregada pelos habitantes deste lugar irônico. Logo na terceira avenida, encontro uma hospedaria muito interessante, uma porta gigantesca para um lugar acolhedor, não foi difícil achar um quarto, consegui um com muitas línguas-de-sogra, isto me causou uma enorme vontade de comer uma bela costela de Javalis Cromáticos, mas não sem antes ligar para Ernie, o telegrafista que resolveria meus atuais problemas…

7 thoughts on “Bolhas e borrachas

  1. uhu!! delícia! rpz, q viagem… tô aqui meio zonzo. mto bom!
    ah, valeu! 🙂 é lá mermo q c tá pensando, bella napole e talz…
    abraço! dia 09 chegando hein!?

  2. Interpretação: As lágrimas demonstarm que ele (o momento de felicidade) veio em sua plenitude. Não incluí nada com conotação sexual no poema afim de seguir um estilo pueril e inocentizado.

  3. Ei!
    ando com pouco tempo pra ler e escrever blogs, mas atualizei o meu.
    😛
    vc realmente me ajudou a voltar a publicar pensamentos…eles estão ainda tímidos, mas vão melhorar.
    bjs

Comments are closed.