Reinventando o show business

A revolução da mp3 deixou a indústria fonográfica bem confusa. Até o momento, as grandes gravadoras e os grandes artistas não sabem ao certo a maneira mais rentável e de maior aceitação do público para disponibilizar suas novas obras. Uma das estratégias tem sido a oferta de áudios e vídeos de graça. O que antes era considerado uma loucura, hoje é visto como uma maneira de atrair o público para adquirir o conteúdo pago. Recentemente, o Led Zeppelin entrou para o grupo de bandas que disponibilizam conteúdo gratuito na web. Vídeos clássicos e algumas raridades do grupo estão disponíveis no canal oficial The LedZeppelin Youtube. Entre os vídeos estão clipes, trechos dos DVDs da banda, entrevistas e vídeos exclusivos para o site. Já são mais de 70 vídeos de Jimmy Page, Robert Plant, John Paul Jones e John Bonham em shows que vão do final da década de 60 até 1980. Entre tantos vídeos, escolhi dois vídeos de um show no Royal Albert Hall, em 1970. O primeiro é o grupo em Whola Lotta Love:

Este segundo vídeo é o solo do maior baterista de todos os tempos, John Bonham, durante a música Moby Dick:

Além do canal do Led Zeppelin no Youtube, vale a pena conferir os canais oficiais de Paul McCartney, Radiohead, REM, Snow Patrol, Queen, Smashing Pumpkins e Muse.

Dos citados acima, não posso deixar de destacar o mais novo clipe do Radiohead. O vídeo da música House of Cards foi gravado sem utilizar câmeras filmadoras. Para gravar as imagens, o cenário foi cercado de scanners e lasers que rodam e filmam a 360 graus, 900 vezes por minuto. Em parceria com o Google o grupo disponibilizou através de um link o material bruto para que os fãs criem as suas versões do vídeo. Como já comentei aqui, a banda é craque em revolucionar a música.

Radiohead – House of Cards

One thought on “Reinventando o show business

  1. Ah! Led, quantas vezes eu ouví os seus discos bolachões, hoje tenho todos em CDs e dois DVDs maravilhosos. Continuo ouvindo e, hoje em dia, assistindo, pois há trinta e cinco anos atrás ou mais, as imagens eram raras, não tínhamos a informática que nos deu mp3, internet e toda esta evolução acelerada da informação.

Comments are closed.