Estúdio onde os Beatles gravaram toda a sua obra festeja 80 anos

A incrível viagem pela história da música pop pode ser realizada nessa sexta, sábado e domingo, em duas sessões diárias, em celebração aos 80 anos do Abbey Road Studios

por Eduardo Pelosi, de Londres
O Estúdio 2 de Abbey Road, na capital da Inglaterra, foi onde The Beatles gravaram todos os seus sensacionais álbuns e também recebeu outros ícones da música pop e do rock’n’roll. Foto: Victor Roncally
O Estúdio 2 de Abbey Road, na capital da Inglaterra, foi onde The Beatles gravaram todos os seus sensacionais álbuns e também recebeu outros ícones da música pop e do rock’n’roll

Atravessar a faixa de pedestre que ficou famosa na capa do disco Abbey Road, dos Beatles, já é uma experiência única para quem visita Londres e gosta de cultura pop. Imagine então entrar no estúdio onde nomes como Beatles, Pink Floyd, Duran Duran, Michael Jackson, Queen, James Taylor, Red Hot Chili Peppers, Foo Fighters e Amy Winehouse gravaram sucessos?

A incrível viagem pela história da música pop pode ser realizada nessa sexta, sábado e domingo, em duas sessões diárias, em celebração aos 80 anos do Abbey Road Studios. O outro fim de semana comemorativo aconteceu nos dias 9, 10 e 11.

Entrar no estúdio é realmente um privilégio para quem conseguiu comprar um dos disputados ingressos para as cerimônias comemorativas – cada tíquete custou o equivalente a R$ 215.

Nos corredores de Abbey Road é possível ver centenas de fotos inéditas de grandes músicos em ação. O tour é guiado diretamente para o Estúdio 2, principal sala e onde foram gravados discos como Sargent Pepper’s Lonely Hearts Club Band, dos Beatles, e The Dark Side of the Moon, do Pink Floyd.

Dentro do estúdio, Brian Kehew e Kevin Ryan – autores do best-seller Recording with The Beatles – contam, após 20 anos de pesquisa, como Abbey Road começou a gravar artistas de sucesso, mostram fotos raras, vídeos e áudios das gravações em 90 minutos de palestra. E revelam como Lennon, Paul McCartney e Syd Barret compunham.

Os Beatles e o produtor George Martin no estúdio, na década de 60
Os Beatles e o produtor George Martin no estúdio, na década de 60

“Foi aqui onde começaram, também, as primeiras experiências com a tecnologia estéreo – que permite gravar instrumentos diferentes separados em dois canais”, afirma Kehew, que também é produtor musical.

O público acompanha tudo sentado nas cadeiras onde alguns dos principais artistas musicais do século XX sentaram para gravar seus clássicos. Durante a apresentação, é possível descobrir que, na primeira sessão com os Beatles, ninguém no estúdio estava interessado em mais um grupo de jovens garotos que tentavam emplacar.

Segredos

“O primeiro disco do grupo, Please, Please Me, era mencionado pelo estúdio como um dos seus ‘dez últimos lançamentos’, junto com nomes que, na época, eram muito mais famosos e hoje são esquecidos”, afirma Kehew.

Nem o célebre produtor George Martin, conhecido como o quinto beatle, assistiu as primeiras gravações da banda. Ele enviou o seu auxiliar, Ron Richards, que depois das primeiras sessões alertou Martin para o talento dos garotos de Liverpool.

Outros segredos deliciosos são contados: os integrantes do Pink Floyd carregavam nas costas máquinas registradoras, taças de cristal e peças de ferro velho que utilizavam para gravar os ruídos inovadores em suas músicas, enquanto Paul McCartney utilizava um velho depósito para tocar piano e conseguir o eco desejado em Strawberry Fields Forever e A Day in the Life.

O estúdio Abbey Road sempre teve os equipamentos mais modernos da história e, por isso, sempre recebia ligações de John Lennon, Paul McCartney e outros artistas pedindo um microfone ou um piano emprestado.

Cinema

Além de ser o berço de pérolas que embalam dezenas de gerações, Abbey Road foi palco de gravações de trilhas de filmes consagrados como Star Wars, Senhor dos Anéis, 300, Apollo 13, Shrek, Harry Potter e o Discurso do Rei. Este último utilizou o microfone original do Rei George VI, cedido pela coroa britânica para que o ator Colin Firth gravasse as falas do famoso discurso.

Ao final da exibição, o público é convidado a ver os equipamentos que estão em exposição, incluindo instrumentos raros, microfones e mesas de som, e pode conhecer cada pedaço do estúdio.

Para completar a viagem musical muito especial, cada um pode levar um “pedacinho” do Abbey Road Studios para casa, comprando livros, camisetas, bolsas e até guarda-chuvas comemorativos.

O Abbey Road Studios, aliás, segue em plena atividade e, recentemente, gravou o tema para os Jogos Olímpicos de 2012, que acontecem em Londres, novas gravações de Paul McCartney, David Bowie e Radiohead, além das perfomances para o programa de televisão Live from Abbey Road.

Beatles imortalizaram faixa de pedestres de Abbey Road

A fama mundial do Abbey Road Studios se firmou com a capa do disco dos Beatles, Abbey Road, de 1969, que mostra John Lennon, Ringo Starr, Paul McCartney e George Harrison atravessando a faixa de pedestres – em frente ao estúdio – da rua homônima. Em 2010, a faixa de pedestres foi declarada patrimônio da Inglaterra. “É a cereja do bolo de um grande ano”, declarou Paul. Incluído na lista dos 200 álbuns definitivos do Rock and Roll Hall of Fame, Abbey Road é, também, o disco mais famoso dos Beatles e, para o produtor George Martin, o melhor da carreira da banda. Apesar de ter sido o penúltimo álbum lançado pelo quarteto, foi o último a ser gravado, já que Let it Be, de 1970, teve suas canções gravadas alguns meses antes das sessões de Abbey Road. Foi também o trabalho em que Harrison, após anos vivendo na sombra de John Lennon & Paul McCartney, se firmou como um grande compositor e emplacou os hits Here Comes the Sun e Something. O disco foi marcado pelo uso de novos recursos tecnológicos que estavam surgindo na época, como o sintetizador Moog. Uma curiosidade: a versão em vinil de Abbey Road domina as vendas do gênero nos EUA desde 2009.

20 hits que marcaram a história de Abbey Road:

  • Fats Waller Plays Ain’t Misbehavin’ (1939)
  • Vaughan Williams Symphony Nº 5 (1943)
  • Cliff Richard Move It (1958)
  • Ruby Murray Bambino (1959)
  • Peter Sellers and Sophia Loren Goodness Gracious Me (1960)
  • Shirley Bassey Goldfinger (1965)
  • The Beatles Twist and Shout (1963)
  • The Hollies Bus Stop (1966)
  • The Beatles Revolution (1968)
  • Pink Floyd Money (1973)
  • Buzzcocks Noise Annoys (1978)
  • Kate Bush All We Ever Look For (1980)
  • Duran Duran Notorious (1986)
  • Radiohead Creep (1993)
  • Radiohead Fake Plastic Trees (1995)
  • Oasis Stand by Me (1997)
  • Radiohead Paranoid Android (1997)
  • Kanye West Touch the Sky (2006)
  • Panic! at the Disco Pas de Cheval (2008)
  • Florence and The Machine What the Water Gave Me (2011)
Matéria publicada originalmente no Jornal Correio* e no Portal iBahia, em 22/03/2012